quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

I'm in the business of misery.

   Tão escassas estão sendo minhas epifanias, sinto falta das inspirações esporádicas.  Nada que não envolva aqueles conhecidos problemas mentais surgem como algo que possa contribuir em algum conteúdo deste blog, em algum rabisco, em alguma melodia...E, céus! Começou a tocar uma playlist que a tempos não escutava, é um sentimento estranho e engraçado. Parece que eu voltei dois anos e estou sentada diante de uma realidade que já passou. Aquelas abobrinhas que eram semeadas no meu terreno etéreo da mente estão voltados, mas, diante do agora, elas não têm muito significado. Mesmo assim... é bem intensa a sensação. Algo semelhante ocorre quando eu escuto Paradise - Coldplay que, embora eu não seja fã da banda, a música imediatamente me leva à atmosfera escolar do meu terceiro ano do ensino médio, pois ela tocava no intervalo das aulas para sinalizar troca de professor. Olha só, encontrei uma fonte de sensações: minhas listas antigas de música. É capaz de descer uma lágrima se eu ir atrás de melodias do Paramore... essas sim seriam um gatilho para um turbilhão de antigos sentimentos, antigos sorrisos, antigas aspirações. Hayley Williams ilustrou uma belíssima época de poucas preocupações e muitas piadinhas, de uma rotina nem um pouco sedentária, de um ano bem feliz. De noites na portaria do colégio, jogando conversa fora, esperando meu pai. Que tempo interessante.
   Enfim, eu só queria que as épocas que virão sejam, um dia, dignas de serem memoráveis, envolvidas pelas melhores trilhas sonoras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário